sexta-feira, 28 de abril de 2017

Galeria dos Mártires - Pe. Conrado de la Cruz e Herlindo Cifuentes

Pe. CONRADO DE LA CRUZ e HERLINDO CIFUENTES
Mártires da solidariedade
GUATEMALA * 01/05/1980

Conrado de la Cruz, nascido na cidade de Baguio, República das Filipinas em 27 de julho de 1946. Ele entrou na Congregação do Coração Imaculado de Maria em 1965 e foi ordenado sacerdote em 28 de dezembro de 1971. Foi para a Guatemala em 13 de dezembro de 1972.

Desde sua chegada ele compartilhou com as pessoas a sua opressão, os seus sofrimentos e esperanças. Trabalhou nas paróquias de San Cristobal, Diocese de Verapaz e do porto San Jose, Escuintla.

Em fevereiro de 1979 foi nomeado pároco de Tiquisate onde se dedicou especialmente aos pobres e humildes.

Pela sua coerência evangélica e compromisso, por pregar a verdade e a justiça foi sequestrado em 01 de maio de 1980 a poucos passos do Palácio Nacional. 

De acordo com testemunhas no local, os sequestradores eram seis homens a paisana, armados, que o levou junto com seu amigo Herlindo Cifuentes, jovem sacristão, em um jipe ​​Toyota, cinza. Eles dois assistiam às manifestações do Dia do Trabalhado. Desde essa data nunca mais foram vistos, enquanto o governo afirmava não ter nenhum sacerdote detido.

"... No início dos anos setenta várias paróquias da diocese de Escuintla, na costa sul, iniciou um trabalho de pastoral social através da chamada Família de Deus, inspirada na pedagogia de Paulo Freire. Este trabalho utilizava o estudo da Bíblia a partir da perspectiva dos pobres, orientando a reflexão sobre o papel dos cristãos na construção de uma sociedade mais justa".

Uma das preocupações da Igreja Católica eram as condições desumanas de trabalho (às vezes trabalho escravo) em fazendas de cana de açúcar e de algodão, e da falta de uma organização de trabalhadores temporários.

Santa Lucia Cotzumalguapa, onde estava a maioria das usinas de açúcar e onde se localizava as maiores fazendas de cana do Litoral Sul. Foi o município com o maior desenvolvimento das Famílias de Deus e mais tarde Comitê de Unidade Camponesa (CUC). 

Em fevereiro de 1980, se convocou uma greve na fazenda de cana de açúcar em Tahuantepeque, no mesmo município de Santa Lucia Cotzumalguapa. Todos os trabalhadores das fazendas de cana de açúcar e alguns algodoeiros da Costa sul aderiram à greve. Mais de 80 mil trabalhadores pararam de trabalhar exigindo um aumento salarial. 

Era neste contexto de organização, de luta pelos direitos, de conscientização dos direitos ao qual o Pe. Conrado foi capaz de comprometer-se com os sofrimentos do povo.

Por estar comprometido com este povo e por ajudá-los a tomarem consciência de que deveriam juntos lutarem por seus direitos, sempre proclamando a justiça e a paz, foi que ele caiu mártir junto com se amigo Herlindo.

Texto elaborado por Tonny, da Irmandade dos Mártires da Caminhada.


Nenhum comentário:

Postar um comentário