segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

CARAVANAS QUE SEGUIRÃO PARA A ROMARIA DOS MÁRTIRES DA CAMINHADA 2016

CARAVANAS PARA A ROMARIA DOS MÁRTIRES DA CAMINHADA 2016

Abaixo segue os contados das pessoas que estão organizando as caravanas para a Romaria. Quem estiver interessado, é só entrar em contato com os responsáveis das diversas regiões do país e já entrar em sintonia e comunhão com todos e todas que querem celebrar a memória profética dos nossos Mártires.

Romaria dos Mártires dia 16 e 17 de julho de 2016
Ribeirão Cascalheira MT - Prelazia de São Felix do Araguaia .


SÃO PAULO:
 
Saída de São Paulo dia 14/07/2016 as 23:00 h Centro Pastoral São Jose - Metro Belém.
Chegada em São Paulo dia 18/07/2016 as 21:00
Valor da passagem R$ 500,00
Contatos Edevaldo (11) 99644-0954 - 25975356

Email: edapmarques@hotmail.com

Micro ônibus para a Romaria dos Mártires. - Ainda tem 10 vegas.
Saída de Goiânia, aeroporto Santa Genoveva
Dia 15/07/2016 às 19h
Após a Romaria, no domingo dia 17, o grupo seguirá para São Félix do Araguaia, retornando para Goiânia dia 20.
Organizado por: ISABEL PERES DOS SANTOS
Fone: 11 4323-0443 / 99637-0443
isabel.peres@uol.com.br 




BELO HORIZONTE-MG

Responsável: Edgar Mansur

Tel. 31. 988396304
Email: pjbetim@gmail.com


IPATINGA-MG - (3 ônibus)

Responsável: Marleny Gonçalves Bonifácio
Tel. 31.38242540 Cel. 31.984284537


MONTES CLARO-MG

Responsável: Sônia Gomes de Oliveira

Email: negasonia@gmail.com

BELÉM:


Saída de Belém dia 13/07/2016 

Valor da passagem R$ 600,00
Contatos Arleth (91) 98142-4611 - 3351-5800

Email: arleth.adv@gmail.com


CAMPO GRANDE:

Responsável: Jairce da Guia Medeiros Ramos
Email: jairdeguia@hotmail.

Watsap 06799197347


PORTO VELHO-Rondônia:

Responsável: Carlos Victor
Email: coordenacaopastoralpvh@hotmail.com

BRASÍLIA:

Responsável: Danilo e Jardel
Valor da passagem e contribuição com a Romaria: R$ 220,00
Saída: 15/07/2016
Email: danilogdflp@gmail.com / ejas.jardel@gmail.com

DISTRITO FEDERAL:

Responsável: Sued
Watsap: 61 8188-6641

GOIÂNIA:


Romaria dos Mártires da Caminhada
II Encontro das Gerações PJoteiras
Curso de Verão de Goiânia - Goiás



Romeiras e Romeiros da Caminhada,
Você está convidada e convidado a participar com o Centro de Formação, Assessoria e Pesquisa em Juventude – CAJUEIRO e o Curso de Verão - Goiânia/GO da Romaria dos Mártires da Caminhada que acontecerá entre os dias 16 e 17 de julho de 2016. Momento para fortalecer nossa espiritualidade no compromisso de construção do Reino. A romaria já é uma tradição que acontece desde 1986, no Povoado de Ribeirão Bonito, distrito de Cascalheira, "Cruz do Padre João", Prelazia de São Félix do Araguaia, no Mato Grosso. Território que desde os anos 1970 atuou o bispo profeta e poeta Dom Pedro Casaldáliga.
 “Terra da esperança povo em mutirão”

Como garantir sua vaga?
Faça sua inscrição no formulário - através do link abaixo:
https://docs.google.com/forms/d/16nb2UcF2MUcfUjf2JiHJSQ6yiouOVT5gCaHKPrZ2dgI/viewform?c=0&w=1


A comunicação sobre a romaria, pedimos que encaminhem para o email: centrojuventude@cajueiro.org.br

Formas de pagamento:


À vista R$ 200,00 ou em 04 parcelas de R$ 50,00 -  Primeira parcela a ser paga no dia 20 de fevereiro/2016 e última parcela dia 20 de junho/2016.


1. Depósito:
Banco Bradesco - Conta Conjunta: Aurisberg Leite Matutino e Carmem Lucia Teixeira
Conta Corrente: 3524-6
Agência: 1222-0

2.  Pessoalmente:
Local -No Centro Cultural Cara Vídeo - Rua 83, 361 - Setor Sul - Goiânia/GO, 
 de 2a a 6a - das 8h. 12h. das 14h - 17. 

O pagamento deverá ser feito através de depósito nominal e enviar o comprovante de depósito o e cópia dos documentos de RG e CPF para o email: centrojuventude@cajueiro.org.br ou centrocajueiro@gmail.com

Maiores informações - (62) 3225 - 8095 falar com Marisa do CEBI e Curso de Verão.


Hospedagem e alimentação:


As hospedagens acontecem conforme a organização das caravanas em escolas e creches municipais. Obs.: hotel ou pousada deve ser contatado ou reservado pessoalmente pelo/a interessado/a.
A alimentação está garantida pela organização da Romaria (dois almoços, uma janta e um café da manhã).


O que levar?


  • Traga suas bandeiras e cartazes de luta;
  • Rede com as cordas para amarrar ou sacos de dormir. Não será possível levar colchonetes no ônibus;
  • Roupa de cama e banho e material de higiene pessoal;
  • Agasalho - a noite faz frio e às vezes chove;
  • Sacola ou mochila com protetor solar, garrafa para água, boné, sobrinha...
    Medicamentos de uso pessoal;

HORÁRIOS DE SAÍDA:  

Goiânia - dia 15 de julho -  20h - Local - (a definir)
Ribeirão Cascalheira - dia 17 de julho - 16h, chegando em Goiânia, 4horas da manhã. 
 
Programação:1 - Apresentações culturais, show cultural, Celebração dos mártires.


2 - Encontro das Gerações PJoteiras


Além da própria ida em caravana, há sugestões de dois momentos próprio para o encontro das gerações das PJs:

a) Ciranda e Roda de Acolhida e Chegada.
b) Tarde de escuta, partilha e compromissos da caminhada.

Marcando a caminhada


É bom garantir um lanche para a viagem, porque tem poucas opções no caminho. Faça uma reserva financeira para lanche pessoal na viagem, e durante o evento comprar camisetas, bonés, bandeiras, artesanato da comunidade local.


Observações Importantes:

  1.  Devido ao espaço limitado do bagageiro, pedimos que levem malas pequenas ou mochilas.
  2. Menores de 18 anos deverão providenciar autorização dos responsáveis.
  3. Informar na pré-inscrição nas observações se há: restrições alimentares, uso de medicamentos contínuos, problemas de saúde e dificuldades para locomoção.
  4. Veja o horário da chegada em Goiânia e  reserve local para hospedar se necessário.  
Em caso de dúvida entrar em contato pelo e-mail: centrojuventude@cajueiro.org.br


Na esperança de nos encontrarmos nesta Caminhada:

“Deus te guarde, Deus nos guarde em seu abraço”

Sugestões: ver o filme Descalço sobre a terra vermelha. Quem já viu rever FILME - DESCALÇO SOBRE A TERRA VERMELHA em nosso canal está o firme organizado em três partes.
Pedimos que cada pessoa interessada faça sua reserva para que possamos ver o ônibus com urgência, julho é férias. Qualquer dúvida favor entrar em contato pelo email acima.



Ofício Divino em Memória do Martírio de Dom Osca Romero - 12/03/2016

Dom Pedro Casaldáliga diz que: "um povo ou uma igreja que não faz memória de seus mártires não merece sobreviver"!


sábado, 27 de fevereiro de 2016

Galeria dos Mártires - Irmã Teresita Ramírez

Ir. TERESITA RAMÍREZ
Mártir do Evangelho
COLÔMBIA * 28/02/1989

Teresita Ramirez, 41 anos, religiosa da Companhia de Maria, foi assassinada com 8 tiros na frente de seus alunos do Liceo em Cristales, próximo de Antioquia.

De origem camponesa, decide ser religiosa aos 17 anos. Sua formação intelectual e religiosa culmina em Medellín. Fiel à sua origem pobre camponesa opta sempre a trabalhar com marginalizados. Em Barranquilla permanece por 9 anos em El Bosque, um bairro onde ela motivou as Comunidades Eclesiais de Base e onde recebeu o apelido de “Irmã Chévere”. Sinônimo de carinho, confiança, dedicação, alegria, simplicidade, que em Teresita brotam por sua profunda fé e confiança no sentido libertador do Evangelho.

Em 1987 mudou-se para o Cristales, onde tinha sido pároco o Pe. Jaime Restrepo, que foi morto em 1988, perto de lá. O martírio do Pe. Restrepo se entrecruza com o de Teresita.

Jaime deixa o campo semeado, que frutificou em uma profunda consciência e organização dos camponeses. As religiosas que se faziam presente em Cristales desde 1975, apoiaram e continuaram o trabalho de Restrepo; nas casas, no Liceu, nas ruas onde diariamente os camponeses iam e voltavam do trabalho.

A jornada de Teresita começava às cinco horas da manhã e termina às onze da noite.

Em maio de 1988 se realizou uma Marcha Campesina. Suas reivindicações são de justiça elementar: água, luz, educação, escolha do pároco. Os sacerdotes e religiosos da área decidiram aderir a Marcha. Teresita e outros religiosos e religiosas colaborem em tudo. Quando chegam a Puerto Berrio, a Marcha foi reprimida pelo exército. Um oficial identifica Teresita por nome e atividade em Cristales. Outros tirar fotos. Em varias ruas estão os militares.

Brutalmente se maltratam os camponeses e Diante de muitas pessoas, mataram Teresita.

Uma inscrição aparece nas paredes da cidade: “Cristales estará de luto”. Esta frase se cumpriu na vida/mártirio de Teresita.

Antes de concelebrar a Eucaristia de despedida, os sacerdotes beijam seu caixão, como se beijam no altar as relíquias dos mártires.

A alegria e o compromisso dela faz com que o povo continuasse a resistir e lutar.

Texto elaborado por Tonny da Irmandade dos Mártires da Caminhada, 
a partir de pesquisa na Internet.

Galeria dos Mártires - Guillermo Cespedes Siabato

GUILLERMO CESPEDES SIABATO
Mártir da Justiça e da Esperança
COLÔMBIA * 28/02/1985

Guillermo Cespedes Siabato nasceu em Toche (Tolima), em 28 de janeiro de 1954. Desde criança viveu em sua própria carne as carências de todos os pobres e, desde muito cedo descobriu a força do chamado de Jesus de Nazaré. Por sua vez, a sua resposta foi se fazendo efetiva em seu compromisso com os irmãos, nos grupos cristãos em Cali.

Militante por vários anos do Grupo Cristãos pelo Socialismo, descobriu nesta comunidade de irmão a exigência de construir uma sociedade igualitária e fraternal, e foi o que ele desenvolveu em seu trabalho nos bairros pobres de Cali e em alguns sindicatos, onde realizava tarefas educativas de consciencização e organização.

Sua profunda vivência do Evangelho foi como um testemunho em sua defesa mesmo quando ele foi preso em maio de 1979; "Eu sou um cristão fundamentalmente do amor, do amor que alimenta nossa fé e nossa esperança, do primeiro mandamento e o principal, do amor ao povo, do amor pela humanidade, do amor sem interesse nem paternalismo, deste amor que se transforma em compromisso, que se transforma em luta pela causa dos oprimidos (...). Estou convencido de que ser cristão é amar de forma intensa, é amar com esperança, é amar com todo o coração, com toda a sua força, e converter este amor em entrega, em ir até as últimas consequência pelo ser humano, pelo povo ".

Guillermo foi preso no dia 10 de maio de 1979, quando saia de uma assembléia do sindicato dos trabalhadores do município, onde trabalhava a mais de três anos. Ele foi levado para o Batalhão Pichincha, onde foi torturado física e psicologicamente por 10 dias, ficando em um estado de muita fragilidade. 25 dias mais tarde, quando foi anunciada uma visita da Cruz Vermelha Internacional, foi encaminhado para a cadeia local para dar a impressão de estava tudo bem, que o processo que se seguiu era legal, que ele e outros presos estavam sendo tratados dignamente.

Esteve preso por quatro anos no carcere de La Picota, em Bogotá, tempo este que lhe permitiu reafirmar seu compromisso cristão e seu amor para com os mais pobres de seu povo.
Durante a "Trégua" ou "Processo de Paz" acordado pelo presidente Betancur, e enquanto Guillermo trabalhava como professor na aldeia de Rionegro (município Corinto, Cauca), foi morto com outros jovens, por um comando do Exército Nacional. 

Em 28 de fevereiro, 1985, no período da tarde, enquanto jogava uma partida de futebol com crianças do bairro na escola, foi cercado por soldados, que, em seguida, atirou e matou cinco jovens, incluindo Guillermo. Os autores tentaram colocar nas vítimas uniformes militar, mas a mãe de um deles impediu.

No período de sua prisão em Cali (maio de 1979), ele escrevia poemas, e nos deixou um bonito e impressionante poema, onde quis colocar a sua experiência vivencial da tortura: Quiseram matar a esperança.

Foi assassinado, mas vive para sempre presente nas lutas do povo.

Quisieron matarnos la Esperanza

Quisieron matarnos la esperanza
robarnos la necesidad de luchar
y junto a los indefensos cuerpos
torturar y eliminar nuestros cimientos de libertad.

Los brazos inmóviles;
ciegos por las vendas:
insomnes.

Los pies aprisionados
la cabeza sumergida
bebimos el agua del pantano
sentimos el bloqueo del ahogado.

(A cambio de sentido éramos presa de alucinaciones y delirios)
Los estómagos fueron saciados
a golpe de manos empuñadas
a golpe de botas militares
a relamidos de res.

(El olor, la boñiga que pisamos, el mugido de rumiantes,
nos decían que habitábamos un establo)
Sonidos metálicos
apretar de gatillos al oído
círculos de hierro, bocas de cañón
en la nuca, el cuello, el abdomen
el temor de los pasos, el terror de las voces.

Afuera la lluvia y los truenos
testigos cómplices de la deshumanización.
Los lamentos, los ayes, los gritos,
el dolor de los huesos, los músculos, el alma,
 el golpeteo en el pecho, espalda, coyunturas, nalgas y el cerebro.
Corto circuitos causados por la tempestad
choques aplicados en bocas y ojos
vaginas y testículos.

Voces ahogadas de mujeres y hombres
voces de sadismo de agentes especiales de profesión: tortura.
Colgadas y plantones
interrogatorios eternos
las amenazas, la eterna oscuridad.
Así no paran la lucha
crece;
el frente avanza, ya llega
en Nicaragua,
La roja bandera, la de los pobres de América Latina
ondeará en esta sacrificada tierra;
la bandera de justicia
la de los campos floridos
la del pan para todos.

Nuestro continente (ahora oprimido)
será la patria soñada
de Galán y Bolívar
de Camilo y el Che.
La tortura es una piedra
en el largo camino hacia la nueva Humanidad.

Texto elaborado por Tonny da Irmandade dos Mártires da Caminhada, 
a partir de pesquisa na Internet.

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Galeria dos Mártires - Sebastião Bezerra da Silva

SEBASTIÃO BEZERRA DA SILVA
Mártir da Tortura
CRISTALÂNDIA-TO * 27/02/2011

MEMÓRIA DE 5 ANOS DE SEU MARTÍRIO

Sebastião Bezerra da Silva, Secretário Executivo do Movimento Nacional de Direitos Humanos – Regional Centro Oeste e do Centro de Direitos Humanos de Cristalândia/TO, foi brutalmente assassinado em 27 de fevereiro de 2010.

Sebastião Bezerra, militava na luta pelos direito humanos e justiça social. Tinha 40 anos de idade e recém formado em Direito, morava na cidade de Paraíso – TO onde deixou a esposa e duas filhas.

Estava envolvido na apuração da responsabilidade sobre o linchamento de um preso numa delegacia do interior. Nos últimos dias de sua vida vinha recebendo ligações estranhas, o que ele pensava que era apenas uma tentativa de intimidação devido ao processo que ele moveu contra policiais militares que tinham torturado uma pessoa.

Vinha denunciando práticas de tortura e assassinatos por parte da Policia Militar do Estado.

Foi encontrado enterrado em uma estrada entre Gurupi e Dueré, região sul do estado do Tocantins. 

Pela forma que morreu, tem todas as características de ter sido tortura seguida de morte, portanto, vingança.

Segundo informações, a causa da morte foi, asfixia por estrangulamento e amassamento do crânio. O corpo estava enterrado, ficando apenas com um dos dedos do pé de fora. Estavam quebrados o dedo do polegar esquerdo e uma das pernas. 

O caso de Sebastião se assemelha a outros casos, como o de Chico Mendes, Irmã Dorothy, Pe.Josimo, que por lutarem pelos direitos elementares; terra, educação, vida, e por se comprometerem pelas causas do povo foram assassinados na tentativa de silenciarem estas vozes proféticas e incomodas.

Que a luta destes tantos mártires, companheir@s de sonhos e esperanças sejam atualizado no dia-a-dia de todos os homens e mulheres que forjam um Outro Mundo Possível e Necessário.

Texto elaborado por Tonny da Irmandade dos Mártires da Caminhada.

Galeria dos Mártires - Jesús Maria Valle Jaramillo


JESÚS ​​MARÍA VALLE JARAMILLO
Mártir dos Direitos Humanos
COLÔMBIA * 27/02/1988

Jesús María Valle Jaramillo, de origem camponesa e sangue índio, nascido em uma aldeia no município de Ituango, foi um respeitado líder estudantil na Universidade de Antioquia na década dos anos sessenta, feita para muitos inexplicável, porque ele se confessava de filiação conservadora e do movimento estudantil, porém prevaleceu a ideologia da esquerda. Disse ele em certa ocasião: "É que eu sou conservador nas idéias, mas comunista nos fatos".

Advogado graduado foi eleito membro da Assembleia de Antioquia pelo Partido Conservador, mas faltando alguns meses para exercer a seu mandato, em atitude única ou pelo menos excepcional no país, renunciou o mandato e ao seu partido, denunciar publicamente a corrupção e o clientelismo vigente.

Ao longo dos anos, ele passou a ser o Professor Exemplar nas quatro faculdades de direito mais importante nesta cidade; Líder Comunitário (Promotor e Presidente da Liga dos membros da Empresa Pública de Medellin); Dirigente Gremial (Presidente do Colégio Antioquiano de Advogados e do Colégio de Advogados Criminalistas de Antioquia); Apóstolo dos Direitos Humanos e prestigiado Advogado de Defesa Criminal, que fez de seu exercício profissional a expressão comprometida e consistente de um projeto de vida, de uma opção pelos pobres, pelos injustamente detidos, pelos torturados, desaparecidos, perseguidos, desprezados, que ele os chamava de "desterrados" e, por fim, pelas vítimas da injustiça social.

Foi membro da Comissão Permanente de Defesa dos Direitos Humanos de Antioquia, desde a sua criação, em 1978; após o assassinato de vários dos seus membros e presidentes, especialmente em 1967, ele permaneceu, enquanto os outros se afastaram.

Na noite de 27 de fevereiro de 1998, homens armados do tenebroso grupo La Terraza, o assassinaram em seu escritório, tombando morto um ferrenho defensor dos direitos humanos de Antioquia que deu a sua vida para defender os camponeses pobres de sua terra natal, Ituango, e denunciando a barbárie cometida contra seu povo pelas forças criminosas de Carlos Castaño Gil em conluio com autoridades civis e militares.

Após o assassinato de Jesús Maria Valle, o advogado Luis Fernando Vélez Vélez, tornou-se presidente e porta-voz da comissão, porém, foi assassinado 17 de dezembro de 1987, em Medellín (Antioquia).

Texto elaborado por Tonny da Irmandade dos Mártires da Caminhada,
a partir de pesquisa na Internet.

Galeria dos Mártires - Massacre de Caracazo

MASSACRE DE CARACAZO
Mártires pelos Direitos
VENEZUELA * 27/02/1989

“El Caracazo”, uma revolta que aconteceu nos municípios de Caracas e Guarenas, no Estado de Miranda, durante o segundo mandato do Ex-presidente Carlos Andes Pérez. 

A população se revoltou contra o pacote de medidas econômicas arquitetadas pelo governo Pérez e solicitadas pelo FMI (Fundo Monetário Internacional), que levou ao aumento dos preços dos alimentos e combustíveis.

Grupos de pessoas começaram uma série de protestos contra o aumento das taxas de transporte urbano e a falta de reconhecimento de passagem preferencial para estudantes por parte do Estado.

Tal inquietação se espalhou para outras partes do país, e consistiu, principalmente na queima de veículos de transporte urbano, saques e destruição de lojas.

Naquele dia, um setor da Polícia Metropolitana estava em greve, de modo que o controle da situação foi confiada às forças militares do  país. As tropas que foram destinadas a controlar a situação eram de jovens inexperientes de 17 e 18 anos, equipados com armamentos de grosso calibre.

A repressão militar e policial contra os protestos deixou centenas de mortos.

Os restos mortais de 71 venezuelanos assassinados foram sepultados no cemitério de Caracas. O restante dos cadáveres estão em uma vala comum por falta de identificação.

Mais de 2000 pessoas feridas e uma grande destruição.

Texto elaborado por Tonny da Irmandade dos Mártires da Caminhada.


                                                                 

Galeria dos Mártires - Jimmie Lee Jackson

JIMMIE LEE JACKSON
Mártir dos Direitos Civis
ALABAMA, EUA * 26/02/1965

Jimmie Lee Jackson, nasceu em Marion, Alabama, uma pequena cidade perto de Selma, em 16 de dezembro de 1938, ainda jovem tornou-se parte do movimento dos direitos civis. Depois de participar de um protesto pacífico no Alabama em fevereiro de 1965, ele foi baleado por um policial estadual. Ele morreu poucos dias depois. 

Em 18 de fevereiro de 1965, Jackson participou a noite de uma marcha pacífica em Marion, realizada para protestar contra a prisão de James Orange, secretário de campo para a Southern Christian Leadership Conference. No entanto, mesmo sendo uma manifestação não-violenta, foram rejeitados pelos segregacionistas que detinham o poder no Alabama. Naquela noite, postes de luz da cidade foram desligados; sob a escuridão, policiais e soldados atacaram os manifestantes com cassetetes,  fazendo com que se dispersassem e fugissem em diferentes direções.

Perseguidos por policiais, Jackson e outros manifestantes entrou em um restaurante chamado Café de Mack. Lá, Jackson foi baleado no estômago por James Bonard Fowler, um policial estadual. Testemunhas contaram que Jackson tinha sido protegido do ataque do soldado por sua mãe e seu avô de 82 anos de idade. James Fowler afirmou ter agido em legítima defesa, justificando que atirou pois Jackson estava com arma, o que não foi confirmado.

Ferido, Jackson foi levado para um hospital local, em seguida, enviado para um hospital em Selma. Ele permaneceu internado no hospital por uma semana. No dia 26 de fevereiro de 1965 morrer devido uma infecção causada pelos tiros. Ele tinha apenas 26 anos de idade. 

Embora ferido, o chefe dos soldados do estado, tinha enviado um mandado de prisão para Jackson enquanto ele estava no hospital, Por outro lado, James Fowler não havia sofrido nenhuma punição ou medidas disciplinares, e foi autorizado a continuar em seu emprego.

A morte de Jackson foi condenado pelos líderes dos movimentos dos direitos civis, como Martin Luther King Jr., que tinha visitado Jackson no hospital-John Lewis e James Bevel. Em 3 de março, Luther King Jr., falou no funeral de Jackson, afirmando que ele tinha sido "assassinado pela brutalidade de cada xerife que pratica a ilegalidade em nome da lei."

Sua morte inspirou uma marcha pelos direitos de voto. 

Em 7 de março de 1965, liderança dos movimentos dos direitos civis, seguiram em marcha. Houve resposta violenta aguardando esses manifestantes. Quando chegaram na Ponte Edmund Pettus em Selma, a polícia usou gás lacrimogêneo e cassetetes contra eles. Imagens da violência com o protesto veio a ser conhecido em todo o país como "Domingo Sangrento".

Duas semanas depois de "Domingo Sangrento", outra marcha partiu de Selma. No momento em que os manifestantes chegaram em Montgomery, havia uma multidão de 25.000 pessoas. 

A Lei dos Direitos de Voto foi promulgada em agosto de 1965, garantindo assim aos afro-americanos como Jackson, até então discriminados de votar, os seus direitos garantidos ao voto.

Texto elaborado por Tonny da Irmandade dos Mártires da Caminhada,
a partir de pesquisa na Internet.

Galeria dos Mártires - Dom Antonio de Valdivieso

DOM ANTONIO DE VALDIVIESE
Mártir da defesa do índio
NICARÁGUA * 26/02/1550

Antonio de Valdivieso, bispo da Nicarágua, onde chegou vindo da Espanha em 1544. Lutou em favor dos índios em sua própria terra, e através de inumeráveis cartas para denunciar ao rei as injustiças que se cometiam contra eles.

"Minhas Cartas, diz o bispo, nestes terras donde as escrevo, são tão suspeitas que não só se receia que ficarão perdidas por aqui, segundo o costume que souberam impor, mas que, ainda que cheguem a esses reiunos, deve-se temer perseguições: por isso escrevo estas às pressas para que Vossa Majestade tenha notícias da grande necessidade que há por estas paragens de uma boa justiça... No que toca aos índios, estão cada vez mais oprimidos".

É tal a força de sua denúncia  que o próprio presidente da Audiência afirma em relação ao bispo:"Teme-se, cada dia, que venham a matá-lo". Como efetivamente ocorreu.

Sua morte foi assim relatada nas crônicas: "Sucedeu que estando ele a pregar em favor da liberdade para os índios, repreendeu conquistadores e governadores pelos maus tratamentos a eles dispensados. Indignaram-se tanto conta ele que o ameaçaram com obras e palavras... (Serviram-se de um soldado o qual) saiu, acompanhando por alguns outros... foram à casa do bispo... e perdendo o repeito por tudo o que é sagrado, deram-lhe punhaladas".

Assim morreu, mártir da caridade e na luta pela liberdade dos índios, o bispo Antonio de Valdivieso, em Léon, na Nicarágua.

Texto elaborado por Tonny da Irmandade dos Mártires da Caminhada,
a partir de pesquisa na Internet e do livro: Sangue Pelo Povo.

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

ROMARIA DOS MÁRTIRES DA CAMINHADA 2016 - Carta para as Caravanas

R


omaria dos Mártires da Caminhada – Profetas do Reino
16 e 17 de Julho de 2016
ibeirão Cascalheira - MT


“Bem-aventurados/as as/os que são perseguidos/as por causa da justiça, porque deles/delas é o Reino do Céu”. (Cf. Mateus 5,10)

Aos sonhadores e sonhadoras,
Profetas e profetizas
Testemunhas do Reino;
           
A Igreja de São Félix do Araguaia, onde o suor e o sangue fecunda o chão, já está em peregrinação, em caminhada. É tempo de preparar para Romaria dos Mártires. Nesta festa da vida vamos fazer memória dos 40 anos do martírio do Pe. João Bosco Penido Burnier, Pe. Rodolfo Lunkenbein e do índio Simão Bororo. Na mesma ocasião faremos memória do Martírio de Sepé Tiaraju – Patriarca da Causa Indígena, que há 260 anos gritou “Esta Terra é Nossa”.
O tema desta Romaria será: “PROFETAS DO REINO”, dando à profecia as três funções que a caracterizam: Anúncio, Denúncia e Consolo.
A profecia anuncia a Boa Nova: ela é evangelizadora por definição. A profecia denuncia o anti-reino: denuncia a má notícia de todos os sistemas e atitudes de morte. A profecia consola: É o pedido do próprio Deus, “consola o meu povo”. Opta pelos pobres, excluídos, marginalizados. A profecia que consola é misericordiosa, solidária, cuidante, luta pela justiça e pela paz, é amorosa.
É com este espírito de romeiros/as, preparando-se para Romaria, como peregrinos/as, Profetas e Profetizas do Reino, que convidamos vocês para celebrar conosco esta grande festa dos/as Profetas/Profetizas do Reino que realizar-se-á nos dias 16 e 17 de julho 2016.

            1. PREPARANDO A ROMARIA
·         Promover encontros para celebrar, refletir e aprofundar o que é Romaria, as Causas dos Mártires que são as Causas do Reino;
·         Organizar encontros para conhecer a história, a vida e o testemunho profético de alguns/algumas mártires (Oficinas – ver material no blog da Irmandade dos Mártires: http://irmandadedosmartires.blogspot.com.br - de modo especial os mártires da sua região. Também neste blog temos Roteiros de Ofícios, Via-Sacra dos Mártires e o Cartaz da Romaria;
·         Utilizar os materiais publicados sobre o Mártires;
·        Rezar pessoalmente e comunitariamente a Oração dos Mártires da Caminhada;
·        Organizar as caravanas dos romeiros/as do seu Regional. Fazer faixas e cartazes.

2. PARA A ROMARIA

Para que você, comunidade e sua caravanas, regional organizem melhor à vinda para a grande festa, lembramos:
·        Data: 16 e 17 de julho 2016;
·        Local: Ribeirão Cascalheira
·        Hospedagem solidária: nas casas das famílias hospedeiras, escolas – trazer roupa de cama, redes, colchões, objetos de uso pessoal. Par aqueles/as que queiram hospedar-se em hotéis, fazer sua reserva nestes números:  Ana Hotel – 66.34891534; Aroeira – 66.34892046; Jerivá – 66.34891177; Nossa Senhora de Fátima – 66. 34891534/1543; Refatti – 66.34891043;- Trazer: Prato, talher, caneca (não teremos materiais descartáveis);
·        A Romaria é nossa! Estamos solicitando uma colaboração de R$ 20,00 (vinte reais) para ajudar nas despesas. Sugerimos que uma pessoa das caravanas recolha a contribuição de todos/as e repasse para equipe de acolhida;
·        O clima é bastante quente durante o dia, mas a noite poderá esfriar. Portanto trazer uma blusa de meia estação;

3. PROGRAMAÇÃO
Sábado – 16/07
Durante o dia chegada dos Romeiras/as
Acolhida e credenciamento na praça da Igreja São João Batista
Almoço, feira e exposição de materiais;
17horas – jantar
18h30 – Abertura da Romaria – acendimento da fogueira – caminhada martirial - rito de chega no Santuário

Domingo – 17/07
6 horas – Alvorada e café
7h30 – Celebração Eucarística em Memória dos Mártires da Caminhada
12horas – Almoço e despedida

Qualquer dúvida entrar em contato com a Equipe de coordenação da Romaria (ver os contatos no final da carta). Estamos ansiosos para que chegue logo o mês de julho, para vivermos juntos/as esta grande festa.

Que o Mártir Jesus, a Testemunha Fiel, nos ajude a sermos Profetas do Reino com paixão, alegria e jeito humilde, sendo coerentes com a nossa fé, assumindo as causas da vida, as causas pelas quais tantos irmãos e irmãs regaram este chão com o próprio sangue para que tivéssemos um mundo mais humano: do bem viver, bem-conviver, bem-cuidar; amar nossa Casa Comum.   Fiquemos unidos e contamos com a sua presença.

Ribeirão Cascalheira, fevereiro de 2016
Equipe de Coordenação
  
Regional Ribeirão Cascalheira – Rua São Paulo, 60 – Centro
Fone: 66 34892036 – E-mail: romariadosmartires2016@gmail.com