terça-feira, 29 de novembro de 2016

Galeria dos Mártires - Pe. Pablo Gazzarri

Pe.  PABLO GAZZARRI
Mártir e Servidor do Povo
ARGENTINA * 29/11/1976

Pe.  Pablo Gazzarri, argentino, integrante da Comunidade dos Irmãozinhos do Evangelho, à qual se incorporou depois de exercer seu ministério sacerdotal na arquidiocese de Buenos Aires.

Foi sequestrado ao descer do carro de sua família, em frente a sua casa paterna, em pleno centro da cidade. Seu desaparecimento foi imediatamente comunicado ao Núncio apostólico, bem como ao arcebispo de Buenos Aires e parece que as autoridades militares reconhecem em principio sua detenção.

Foi levado para a prisão da Escola de Mecânica da Marinha (ESMA)

Após o golpe militar de 1976, a perseguição aos padres comprometidos foi aberta. Dezenas deles foram mortos (os Padres Palotinos de San Patricio, Pe. Carlos Mugica, Monsenhor Enrique Angelelli) e muitos outros desapareceram. 

Pablo estava muito consciente de que a qualquer momento ele poderia ser morto ou desaparecido, tendo em conta os mesmos compromissos assumidos por ele, tal qual Mugica, Angelelli, entre outros.

Ele se definia como "sacerdote montonero", e, tentou com Jorge Adur implantar o Movimento de Cristãos para a Libertação – semelhante aos Cristãos pelo Socialismo na Argentina. 

No mesmo dia em que deixou de pertencer ao clero diocesano de Buenos Aires e integrou à comunidade dos Irmãozinhos de Evangelho foi sequestrado. Isso intentou a uma forte suspeita de um "acordo" entre as Forças Armadas e o Cardeal de Buenos Aires, Aramburu, de que não tocassem em nenhum dos "seus" sacerdotes (os outros casos alertaram ainda mais a suspeita). 

A declaração de "arrependido" Captãon Scilingo, afirmou que ele foi detido na Escola de Mecânica Naval, e foi levado no "vôo da morte". (As pessoas eram drogadas e lançadas vivas no Rio de la Plata).

Seus companheiros de sacerdócio recordam seu espírito de serviço, sua alegria e sua opção pelos meios populares, aos quais sempre esteve ligado.

Texto elaborado por Tonny, da Irmandade dos Mártires da Caminhada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário