sábado, 2 de maio de 2015

Galeria dos Mártires - Sebastián Larrosa

SEBASTIIÁN LARROSA
Mártir da Solidariedade entre os Pobres
PARAGUAI * 02/05/1994

Sebastián Larrosa, estudante campesino, assassinado aos 18 anos, por seu compromisso com a justiça para com os pobres do Paraguai.

Desde criança, se levanta às 4 da manhã para colher o algodão, com toda a família. Sob o sol, ao meio-dia, o calor atinge 45 graus. Ela cresce em meio à terra vermelha, flores brancas e a pobreza escondida em cada canto do rancho. Um de seus vários irmãos é agora líder camponês e Sebastián inicia os estudos na escola secundária.

Tudo começa nos primeiros dias de fevereiro, quando 400 camponeses no departamento de San Pedro bloqueiam a estrada que leva à capital, Assunção. Eles exigem a liberdade de 53 companheiros presos por invadir pacificamente uma área de 700.000 hectares de latifundiário Blas Riquelme, ex-presidente do partido no poder e agora senador. A feroz repressão policial que deixa 22 feridos, a fazendas destruídas e um camponês morto por uma parada cardíaca, ao ver tanto sofrimento de seus irmãos camponeses.

O protesto se espalha como um gigantesco clamor, outros departamentos: Concepción, no norte; Missões no sul. Reivindica a posse da terra, a que 351 latifundiário controla 10 milhões de hectares, metade da extensão total explorado. Enquanto isso, 80% dos agricultores carecem do título propriedade.

O padre jesuíta, José Luis Caravias, declara pelo rádio: "os camponeses sem terra não têm alternativa a invasão pacífica da propriedade privada, na ausência de resposta das autoridades e o terrível egoísmo dos latifundiários". Vários bispos expressam a sua solidariedade para com as reivindicações dos agricultores.

Em 15 de março, 25 mil camponeses invadiram as ruas de Assunção, com o apoio das centras sindicais, organizações estudantis, igrejas. O presidente não pode recebê-los porque naquele dia ele estava no Brasil. Declara que não subsidiará o preço do algodão. Tampouco se mostra preocupado com o maior protesto da história recente do Paraguai. Os agricultores entregar o seu pedido no palácio legislativo. Neste contexto é morto Esteban Balbuena, líder do Partido dos Trabalhadores e líder de duas organizações campesina de Itapuã.

A miséria, a fome dos camponeses desperta a consciência amordaçada do Paraguai que desde 1958 não fazia uma greve geral. Os três sindicatos se juntam em um Congresso Unitário dos Trabalhadores, que prevê uma greve geral. Exigindo um aumento de 40% nos salários, a suspensão da privatização e abandono do Mercosul.

Na adesão a colegas de trabalho, os camponeses bloquearam as rotas novamente. Repressão brutal e indiscriminada em todo o país. Em Assunção exército leva 25 tanques para as ruas. São hospitalizadas 22 pessoas feridas a bala, apesar das declarações dos policiais, alegando que os disparos foram para o ar. Em San Pedro, onde iniciou sua luta reivindicativa fazia três meses, foi assassinado Sebastián, morto com uma bala na cabeça. Mártir da causa da justiça no Paraguai.

Texto elaborado por Tonny, da Irmandade dos Mártires da Caminhada, a partir de leitura da página do Serviço Koinonia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário