sábado, 28 de dezembro de 2013

Galeria dos Mártires - Santos Inocentes

28 de Dezembro - Santos Inocentes


O dia de hoje se comemora as Crianças Inocentes que o cruel Herodes mandou matar.
A festa aos Santos Inocentes acontece desde o século IV. O culto foi confirmado pelo papa Pio V.
Conforme destaca o Evangelho de São Mateus, Herodes chamou os Sumos Sacerdotes para lhes perguntar em que lugar exato ia nascer o rei do Israel, que os profetas haviam anunciado. Eles lhe responderam: "Tem que ser em Belém, porque assim o anunciou o profeta Miquéias dizendo: "E você, Belém, não é a menor entre as cidades de Judá, porque de ti sairá o chefe que será o pastor de meu povo de Israel" (Miq. 5, 1).
Então Herodes se propôs averiguar exatamente onde estava o menino, para depois mandar a seus soldados a que o matassem. E fingindo disse aos Reis Magos: - "Vão e averigúem a respeito desse menino, quando o encontrarem retornam e me informam isso, para ir eu também a adorá-lo". Os magos se foram a Belém guiados pela estrela que lhes apareceu outra vez, ao sair de Jerusalém, e cheios de alegria encontraram ao Divino Menino Jesus junto à Virgem Maria e São José; adoraram-no e lhe ofereceram seus presentes de ouro, incenso e mirra. Em sonhos receberam o aviso divino de que não voltassem para Jerusalém e retornaram a seus países por outros caminhos, e o pérfido Herodes ficou sem saber onde estava o recém-nascido. Isto o enfureceu até o extremo, por isso rodeou com seu exército a pequena cidade de Belém, e deu a ordem de matar a todos os garotinhos menores de dois anos, na cidade e arredores.
O próprio evangelista São Mateus afirmará que nesse dia se cumpriu o que tinha avisado o profeta Jeremías: "Uma gritaria se ouça em Ramá (perto de Belém), é Raquel (a esposa de Israel) que chora a seus filhos, e não quer consolar, porque já não existem" (Jer. 31, 15).

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Galeria dos Mártires - Pe. Gabriel Maire

PE. GABRIEL MAIRE
Pastoral Urbana
VITÓRIA – ES * 23/12/1989

Francês, sacerdote, já em sua pátria foi um batalhador como secretário geral do Movimento Popular do Cidadão do Mundo, contra o racismo, em favor dos países pobres, pelo desarmamento e a paz mundial. No Brasil engajou-se ativamente na Pastoral  Operária, na CEB’s, na Pastoral da Juventude. Incentivou sempre a participação dos cristãos e cristãs na política, no sindicato e no movimento popular. “Precisa é lutar no dia a dia, de casa em casa: a vitória depende de nós”, dizia o “Gaby”. E já numa atitude de doação total confessou, sabendo-se ameaçado: “Prefiro morrer pela vida a viver pela morte”. E foi assassinado pelos poderosos, num falso assalto.

sábado, 21 de dezembro de 2013

Galeria dos Mártires - Chico Mendes

CHICO MENDES
Mártir da Floresta
XAPURI - AC * 22/12/1988

“A história de Chico Mendes já é parte da história da Floresta Amazônica e seus povos.  Ele tornou-se um marco de mobilização em favor da justiça social e da preservação da natureza.  Como a porunga que ilumina as estradas de seringa na mata, Chico apontou novos caminhos para os movimentos populares”.
Os seringueiros chegaram na Amazônia no final do século passado como mão de obra para produção da borracha.   A partir dos anos 70, com a entrada de fazendeiros no Acre, os patrões antigos abandonaram os seringais após vende-los às empresas do sul, e surgiram nessas áreas os “Seringueiros libertos” que continuaram em suas florestas, vendendo agora livremente e organizadamente seu produto.  Esses seringueiros foram a base dos sindicatos de Xapuri e de Brasiléia, e posteriormente do Conselho Nacional dos Seringueiros. 

Francisco Alves Mendes Filho, ou Chico Mendes, tinha completado 44 anos no dia 15 de dezembro de 1988, uma semana antes de ser assassinado, na porta de sua casa.  Casado com Ilzamar,  deixou dois filhos: Sandino de 2 anos e Elenira de 4 anos.  Acreano, nascido no seringal Porto Rico, em Xapuri, se tornou seringueiro ainda criança, acompanhando seu pai.  Lutador e líder seringueiro foi toda a sua vida, no sindicato, na política, pelos meios de comunicação social. Em outubro de 1985 lidera o primeiro encontro nacional dos seringueiros quando foi criado o Conselho Nacional dos mesmos.  E Chico passa a ser uma referência nacional e internacional, de admiração por parte de todos os militantes da justiça social e da ecologia, e de ódio por parte de todos os destruidores  da vida do povo e da floresta.   Entre muitos prêmios e reconhecimentos nacionais e internacionais, recebeu o prêmio “Global 500” , oferecido pela própria ONU.


Recolhemos aqui palavras de Chico Mendes:

“Eu não posso fugir. Me sentiria um covarde se fizesse isso. Meu sangue é o mesmo destas pessoas que sofrem aqui.
        Os seringueiros precisam ficar unidos, de forma que a morte de uma pessoa não mate a força viva de sua luta. Depois da morte, nós somos inúteis. As pessoas vivas realizam coisas, os cadáveres, não.

        Somos contra a devastação causada pelo mau planejamento que tem tomado conta da Amazônia sem a participação das pessoas que vivem lá. A pecuária, economicamente, nada trouxe à região. Ela só serve para concentrar a terra na mão de poucos. Minha esperança é que os governos dos povos que dão dinheiro ao BID ouçam as reclamações dos seringueiros. Senão, a floresta certamente será destruída”.


segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Galeria dos Mártires - Eloy Ferreira da Silva

ELOY FERREIRA DA SILVA
Líder Sindical Rural
SÃO FRANCISCO – MG * 16/12/84

Pai de dez filhos, homem de fé, presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Eloy era tão destemido como coerente: “Trabalhador rural não é covarde”, dizia, “nossa arma é união, organização e a verdade”. “Diante das ameaças, testemunha um companheiro seu, abria as Sagradas Escrituras e ganhava forças para continuar”. “O Evangelho é nosso guia”, afirmava o próprio Eloy e confessou, generosamente disposto ao martírio: “Se morrer defendendo meus irmãos, é uma honra para mim”.


quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Dom Waldyr Calheiros Novaes (Murici, 29 de julho de 1923 - Volta Redonda, 30 de novembro de 2013)

Dom Waldyr Calheiros Novaes (Murici, 29 de julho de 1923 - Volta Redonda, 30 de novembro de 2013)
Texto de Arthur Torres Neto



Assim que chega as portas do Céu, Emocionado Pedro vem até a entrada e diz : "Waldyr, Waldyr, meu amigo Didi, que bom que você chegou. aliás, você demorou até demais hein Didi? mas vamos ao que interessa. Tome a chave do teu quarto, descanse, a viagem foi longa.

Se importa residir ao lado do cardeal que chegou aqui há pouco tempo? sabe como é né, linhas diferentes, atitudes e formas diferentes de ver esse lugar aqui lá em baixo ne? acho até que aqui vai melhorar o clima aqui, pois só tem chegado o pessoal sem novidade aqui, enjoados, cheios de frescuras.

Tem uma gente que vem lá de baixo e cisma que aqui a gente entende Latim e gosta de dar ordens. Mas você sabe né, Didi, o céu é para todos. Mas fique a vontade Didi, a noite faremos um jantar pra recebe-lo. Será uma festa sem dúvida. Olha só os convidados: Margarida Alves, Josimo, Ezequiel Ramin, aqueles três operários que você conhece muito bem lá de Volta Redonda, seus velhos amigos Fragoso, Aloísio e Adriano, Alfredinho, Clemente Isnard e creio que Oscar Romero também que anda ocupadíssimo com um reconhecimento que o vaticano esta querendo fazer a ele. Só não teremos presença de freiras, pois estão numa missão essa semana de interceder por alguns povos como Filomena da baixada, Adelaide do Pará, Dorothy de Anapu, Creusa de Labrea e muitas outras.

Enfim, Didi, tempo não vai faltar pra você descansar e rever os grandes amigos da missão. Jesus está muito feliz com tua fidelidade, teu amor aos pobres e tua coerência com o evangelho. VC, Waldyr, combateu o bom combate e merece a coroa da justiça."
Ontem, no segundo dia já desfrutando das alegrias do céu, acompanhado de Dom Helder Câmara, Waldyr saiu a procura de amigos de longa caminhada.

Espertinho, levou uma lista consigo e com a ajuda de Martin Luther King saiu a perambular pelas vielas, ruas e moradias celestes. "Queria muito rever meu amigo Adriano Hipólito, vamos atrás dele?" perguntou Waldyr enquanto avistava lá longe uma linda senhora de branco. "É Mãe Menininha do Gantois" disse Martin Luther king. Waldyr olhou para ela e acenou como que dizendo "axé".... prosseguiu na andança, pois haviam dito a ele que Adriano andava lá pelas bandas onde fica o pessoal conversando e fazendo cirandas.

"Waldyr, você se recorda de Leônidas, aquele pastor do Equador, amigo dos povos indígenas?" "sim, sim, claro...." "Pois então aquela ali é a casa dele, desde que aqui chegou, se dedica aos estudos e a mandar forças para sua igreja de Riobamba. Vamos lá, ele vai gostar de revê lo. Mora numa casa simples, nada de palácios e muitos que aqui chegaram se chocaram com tamanho desprendimento.
Vamos lá." E passaram a tarde juntos: Waldyr, já apelidado de Didi, Helder, Martin e Leônidas. Já pela tarde, tiveram a alegria de avistar lá longe Adriano, com seu hábito surrado, careca inconfundível e meio sem jeito dançava no meio de um monte de gente na sua maioria nordestinos e nordestinas que no céu fazem cirandas pra mandar chuva para o sertão.

Lindo encontro, lindo concilio, e juntos recordaram os pactos e alianças que fizeram na terra,   no chão dos pobres. Lembraram do pacto das catacumbas e Martin ouvia tudo com muita admiração, já que não havia participado.

Olhando para os lados, já habituado ao cotidiano do céu, feliz de encontrar todas os amigos de profecia e testemunho, se pergunta: “E meu velho amigo Fragoso, pastor da Igreja de Cratéus, por onde será que anda”.
Vives com padre Alfredinho há umas léguas daqui, e pelo que fiquei sabendo acaba de chegar Veva, irmãzinha de Jesus que vivia com os índios Tapirapés.

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Galeria dos Mártires - Ita Catherine Ford, Maura Clark, Dorothy Kasel e Jean Donovan.




02/12/1980 - Ita Catherine Ford, Maura Clark, Dorothy Kasel, religiosas, e Jean Donovan, leiga, sequestradas, violentadas e assassinadas em El Salvador.

Martirológio Latino-americano - mês de dezembro

Dezembro

01/12/1964 – Anuarite Nengapeta, religiosa congolana (zairense), morreu mártir por se manter fiel a seu voto de castidade quando o coronel dos simbas, Pierre Olombe, queria violentá-la. África.
01/12/1975 – José Serapio Palácios, dirigente da JOC de El Palomar, Buenos Aires, sequestrado, continua desaparecido.
01/12/1981 – Diego Uribe, padre, mártir da luta de libertação de seu povo, Colômbia.
02/12/1980 – Ita Catherine Ford, Maura Clark, Dorothy Kasel, religiosas, e Jean Donovan, leiga, sequestradas, violentadas e assassinadas em El Salvador.
02/12/1990 – Camponeses mártires de Atitlán, Guatemala.
03/12/1987 – Victor Raúl Acuña, padre, Peru.
06/12/1969 – Morre João Cândido, herói da Revolta da Chibata, Brasil.
07/12/1975 – O governo militar da Indonésia invade Timor Leste, matando 60 mil pessoas em dois meses. Em 20 anos de ocupação, mais de 200 mil pessoas foram mortas, ou seja, um terço da população timorense.
07/12/1981 – Lucio Aguirre e Elpidio Cruz, hondurenhos, celebrantes da Palavra e mártires da solidariedade com os salvadorenhos refugiados.
07/12/2002 – Pe. Michel D’Annucci, missionário italiano Estigmatino, foi morto na África do Sul. Autentico amigo da África do Sul e de sua gente.
08/12/1976 – Ana Garófalo, militante da Igreja Metodista, mártir da Causa dos Pobres. Buenos Aires, Argentina.
09/12/1983 – Joilson de Jesus, menor de rua brutalmente assassinado, pisoteado até a morte por um procurador da justiça. São Paulo.
10/12/1977 – Alicia Dumont, primeira religiosa que foi viver em um bairro pobre de Buenos Aires, detida no dia 8, e Leonie Duquet, religiosas francesas, são lançadas vivas e drogadas em um rio. São dadas como desaparecidas.
10/12/1997 – Samuel Hérnán Calderón, padre que trabalhava com os camponeses em Oriente, Colômbia, é assassinado por paramilitares.
11/12/1978 – Gaspar Garcia Laviana, padre, mártir das lutas de libertação do povo da Nicarágua.
12/12/1531 – Maria aparece para o índio Juan Diego em Tepeyac, onde se cultuava Tonantzin, a “venerável Mãe”.
12/12/1981 – Massacre “El Mozote”. Durante vários dias, mais de mil camponeses salvadorenhos são torturados e assassinados pelo batalhão Atlacatí em Morazán, El Salvador.
12/12/1983 – Prudencio Mendonza, “Tencho”, seminarista, mártir da fé, em Huehuetenango, Guatemala.
15/12/1975 – Daniel Bombara, membro da JUC, mártir dos universitários comprometidos com os pobres na Argentina. Assassinado, com sinais de tortura.
16/12/1984 – Eloy Ferreira da Silva, líder sindical, em São Francisco, Minas Gerais, Brasil.
16/12/1991 – Indígenas mártires de Cauca, Colômbia.
18/12/1979 – Massacre de camponeses em Ondores, Peru.
18/12/1985 – São assassinados Paulo e José Canuto, filhos do líder sindical João Canuto, em Rio Maria, Pará, Brasil.
18/12/1992 – Manuel Campo Ruiz, religioso mariano, vítima da violência e da corrupção da policia do Rio de Janeiro, assassinado na cadeia por guardas da prisão e policiais-militares que queriam roubá-lo, quando visitava um preso. Seu corpo foi lançado a um rio e nunca encontrado.
19/12/1994 – Alfonso Stessel, 65 anos, padre de origem belga, é assassinado a facadas e tiros por um grupo ao voltar da celebração de uma capital guatemalteca.
20/12/1818 – Luis Beltrán, franciscano, “primeiro arquiteto do exercito libertador” dos Andes, Argentina. Foi um de muitos religiosos, como a maioria dos congressistas do Tucumã, que participaram das lutas de independência.
21/12/1907 – Massacre em Santa María de Iquique, Chile: 3.600 vítimas – mineiros em greve por melhores condições de vida.
21/12/1964 – Guilhermo Sardiña, padre, solidário com seu povo na luta contra a ditadura, Cuba.
22/12/1815 – José Maria Morelos, padre e herói da Independência mexicana.
22/12/1988 – Francisco “Chico Mendes”, 44 anos, líder ecologista em Xapuri, Brasil. Assassinado pelos latifundiários.
22/12/1997 – Massacre de Acteal, município de Chenalhó, Chiapas, México: grupos paramilitares ligados aos latifundiários e ao PRI massacram “As Abelhas”, grupo indígena tzotzil pacifista, reunidos em oração, em seu terceiro dia de jejum; 45 mortos e feridos, dentre eles 9 homens, 21 mulheres, 14 crianças e um bebê.
23/12/1989 – Gabriel Félix R. Maire, padre francês, assassinado em Vitória, Brasil, por causa de sua pastoral em favor dos pobres.
25/12/1652 – Alonso de Sandoval, testemunha da escravidão em Cartagena das Índias, profeta e defensor dos negros.
 27/12/1979 – Ângelo Pereira Xavier, cacique da nação pancararé, no Brasil, morto na luta de seu povo pela terra.
28/12/1977 – Massacre dos camponeses de Huacataz, Peru.
28/12/1987 – Mais de cem garimpeiros – homens, mulheres e crianças – de Serra Pelada, Marabá, Brasil, que bloqueavam a ponte do rio Tocantins, morrem atacados a tiros pela Policia Militar. Eles reivindicavam seus direitos e segurança no trabalho.
31/12/1972 – Morre em São Paulo, no 4º dia de tortura, Carlos Daniel, do PC do Brasil, sem revelar nada.