quarta-feira, 1 de maio de 2013

Celebração Martirial - Terço


Equipe de elaboração destas celebrações:
Antônio Carlos Pereira da Silva (Tonny)
Laudimiro de Jesus Borges (Mirim)
Pedro Casaldáliga
Diagramação: José María Concepción
Ilustrações:
Maximino Cerezo Barredo
Revisão e copidesque: Divina Queiroz
Projeto Gráfico da Capa:
Wolney Fernandes



APRESENTAÇÃO
As comunidades cristãs celebram a sua fé, celebrando fundamentalmente o Mistério de Cristo; sua Encarnação, sua Páscoa. A Eucaristia é a culminação desta celebração cristã. Mas, simultaneamente, ao longo da história da Igreja, as comunidades vêm celebrando sua fé através de devoções ou rezas, enraizadamente populares.
Entre elas, há séculos ocupam uma cordial preferência do nosso povo o Terço.
Ambas devoções convocam à meditação do Mistério de Cristo e ao seu seguimento. A Encarnação e a Páscoa são a sustância destas devoções privilegiadas. No Terço, o Mistério total da Encarnação, Morte e Ressurreição é meditado em companhia de Maria, a mãe, que “ruminava todas essas coisas em seu coração”.
Esta “Celebração Martirial” nos convidam a celebrarmos o Terço com uma consciência atualizada e comprometida. O Mistério de Cristo continua acontecendo no processo da história. Continuam a nascer e a crescer filhos e filhas de Deus. E continuam eles e elas a morrer crucificados nas cruzes da vida diária ou pela perversidade de um sistema de egoísmo, de exclusão e de morte.
No Terço martirial celebramos, com a vida e o martírio de Jesus, a vida e o martírio de tantos irmãos e irmãs, sofredores e mártires, conhecidos ou anônimos, mas que vêm dando o testemunho maior, dando suas vidas pelo Reino. Vidas e mortes vividas no Espírito do Crucificado Ressuscitado.
Celebrando o Terço martirial, queremos nos comprometer com essas vidas e com essas mortes, no dia-a-dia da luta, na caminhada invencível da esperança. Com todos os mártires da Caminhada, com o Mártir Jesus, Caminho, Verdade e Vida.
Pedro Casaldáliga



TERÇO
MARTIRIAL




MISTÉRIOS PASCAIS

01. Chegada - silêncio, oração pessoal, refrão meditativo:
Firme, de pé, junto da cruz, estava Maria, mãe de Jesus,
estava Maria, mãe de Jesus.

02. Abertura
(Uma pessoa acende uma vela.)

- Vem, ó Deus da vida, vem nos ajudar! (bis)
Vem, não demores mais, vem nos libertar! (bis)
- Glória ao Pai e ao Filho e ao Santo Espírito. (bis)
Glória à Trindade Santa, Glória ao Deus bendito. (bis)
- Aleluia, irmãs, aleluia, irmãos! (bis)
Com a Mãe do Senhor, nossa louvação! (bis)
- A mãe meditava em seu coração (bis)
os feitos e as palavras da Libertação! (bis)
- Vidas pela vida, vidas pelo Reino. (bis)
Com tantas testemunhas, nosso Deus louvemos! (bis)

03. Recordação da vida
Irmãs e irmãos, fazendo memória de Maria, a Mãe do
Mártir Jesus, nossa Mãe e Companheira da Caminhada e,
no espírito da Romaria dos Mártires, vamos rezar o terço,
contemplando os Mistérios Pascais e celebrando a
Memória de nossos Mártires. Queremos assumir as causas
pelas quais, como Jesus, eles e elas deram a vida e fortalecer
nossa mística na construção de “um outro mundo
possível”.
Canto
/: Vidas pela vida, :/
/: vidas pelo Reino, :/
/: vidas pelo Reino. :/
/: Todas as nossas vidas, :/
/: como as suas vidas, :/
/: como a vida d'Ele :/
/: o Mártir Jesus! :/

(Recordemos a vida e a história do mártir que estamos
celebrando... O que nós conhecemos da sua história?)

04. Hino: Com Maria
ou outro relacionado com o mártir que estamos recordando
(Durante o hino crianças entram com flores, fotografia ou cartaz do mártir).

1. Com Maria em Deus exultemos
neste canto de amor-louvação.
/: Escolhida d'entre os pequenos
Mãe-profeta da libertação. :/

És a imagem da 'nova cidade',
sem domínio dos grandes ou nobres,
/: o teu canto nos mostra a verdade
que teu Deus é do lado dos pobres. :/

Maria de Deus, Maria da gente,
Maria da singeleza da flor!
Vem caminhar, vem com teu povo
de quem provaste a dor!
2. És o grito do irmão bóia-fria
nesta América empobrecida,
/: espoliada com vil valentia,
do direito ao chão de sua vida. :/

És Maria de nossos caminhos,
solidária de tantas Marias
/: coroadas de sangue e espinhos
pela exploração noite e dia. :/

3. És a força de nossa esperança,
ó Maria da fraternidade.
/: No cansaço de nossas andanças
guia os passos da real liberdade! :/

Com as flores e o pão partilhados,
preparamos a Mesa da História.
/: Da opressão, afinal, libertados,
cantaremos contigo vitória. :/

05. Reza do Terço

1º Mistério: Contemplamos a oração e a agonia de
Jesus no Horto das Oliveiras.
Contemplamos o mistério da Páscoa de Cristo presente na
agonia da Mãe-terra, na destruição das matas e rios. Na
situação, na vida e nos sofrimentos dos sem-terra, dos
migrantes e de todas as pessoas que passam fome.

Canto
Angústia de morte Jesus padecia
e o sangue em suor da fronte corria.

Pai-Nosso, Ave-Maria...

2º Mistério: Contemplamos Jesus amarrado a uma
coluna, em casa de Pilatos, cruelmente açoitado e flagelado.
Contemplamos o mistério da Páscoa de Cristo que acontece
hoje nos açoites, na violência praticada contra os povos
indígenas, negros, mulheres e crianças do campo e da
cidade.

Canto
À dura coluna Jesus foi atado,
de chagas coberto seu corpo sagrado.

Pai-Nosso, Ave-Maria...

3º Mistério: Contemplamos Jesus coroado de
espinhos por seus algozes. É humilhado diante de
todos, e Ele sofre em silêncio.
Contemplamos o mistério da Páscoa de Cristo presente nos
espinhos da discriminação, do preconceito, da falta de
consciência crítica e do consumismo, cravados na vida do
povo.

Canto
Afronte divina, de sangue banhada,
de agudos espinhos lhe foi coroada.

Pai-Nosso, Ave-Maria...
4º Mistério: Contemplamos Jesus condenado à morte,
carregando em seus próprios ombros a cruz.
Contemplamos o mistério da Páscoa que acontece hoje no
peso do trabalho escravo e infantil; no baixo salário e no
desemprego; no mundo das drogas e nas doenças.

Canto
Encontra Maria seu Filho Jesus,
curvado, oprimido, ao peso da cruz.

Pai-Nosso, Ave-Maria...

5º Mistério: Contemplamos Jesus crucificado,
morrendo na Cruz, ressuscitado, vencendo o pecado, a
escravidão e a morte.
Contemplamos o mistério da Páscoa de Cristo presente em
tantas mortes morridas e mortes matadas. Mas também
recordamos o mistério da Páscoa de Cristo na Ressurreição
dos irmãos e irmãs, que deram suas Vidas pelo Reino da
Vida - nas causas da Justiça, da Fraternidade, da
Libertação, da Paz, da União Ecumênica e da Ecológica.

Canto
Maria contempla seu filho adorado
morrendo na cruz e ressuscitado.

Pai-Nosso, Ave-Maria...
06. Ladainha

Jesus Cristo, Filho de Deus, Testemunha fiel!
- Tende piedade de nós!

Jesus Cristo, Filho de Maria, nossa Páscoa!
- Tende piedade de nós!

Jesus Cristo, nosso irmão, vida e ressurreição de todos os mártires!
- Tende piedade de nós!

Maria, Companheira dos mártires, Mãe do mártir do Calvário,
- Rogai por nós!
Santos e santas mártires do Reino,
Santos e santas mártires da Igreja de Jesus,
Santas e santos mártires de todas as religiões,
Mártires da justiça e da libertação,
Mártires da dignidade e da cidadania,
Mártires da igualdade e da paz,
Mártires da solidariedade,
Mártires da causa indígena,
Mártires da negritude,
Mártires do povo migrante,
Mártires da terra,
Mártires do trabalho,
Mártires da ecologia,
Mártires das lutas populares,
Mártires dos direitos humanos,
Mártires da comunicação livre e solidaria,
Mártires crianças,
Mártires jovens,
Todas e todos os mártires da caminhada.
(Convidar para continuar rezando a ladainha, invocando nomes de mártires:)

Cordeiro de Deus que tirais o pecado do mundo,
- Tende piedade de nós!
Cordeiro de Deus que tirais o pecado do mundo,
- Tende piedade de nós!
Cordeiro de Deus que tirais o pecado do mundo,
- Dai-nos a paz!

07. Oração

Ó Deus da vida, Pai de Jesus e nosso Pai,
fazendo memória dos nossos mártires,
celebrando com Maria a Páscoa de Jesus,
celebramos a páscoa dos mártires da caminhada.
Nós vos bendizemos pelo
amor que neles e nelas venceu o medo e o ódio
e vos pedimos que derrameis em nós
a força do vosso Espírito
para que sejamos sempre fiéis,
no meio dos sofrimentos e das lutas da vida.
Por Cristo Nosso Senhor. Amém.

08. Bênção
(Aspergir as pessoas e a casa com água perfumada, enquanto todos cantam:)

Dai-nos a bênção, ó Mãe querida.
Nossa Senhora Aparecida!
O Deus que olhou para Maria volte seus olhos para nós
e nos faça caminhar na esperança da Libertação
agora e para sempre.
- Amém!

Abençoe-nos o Pai, o Filho e o Espírito Santo.
- Amém, Axé, Awiri, Aleluia!

CANTOS
01. CANTO DOS MÁRTIRES DA TERRA
Zé Vicente

1. Venham todos cantemos
um canto que nasce da terra,
canto novo de paz e esperança,
em tempos de guerra.
Neste instante há inocentes
tombando nas mãos de tiranos.
Tomar terra, ter lucro matando:
são esses seus planos.

2. Lavradores: Raimundo, José,
Margarida, Nativo,
assumir sua luta e seu sonho,
por nós é preciso?
Haveremos de honrar
todo aquele que caiu lutando
contra os muros e cercas
da morte jamais recuando.

Eis o tempo de graça!
Eis o dia da libertação!
De cabeças erguidas,
de braços unidos, irmãos!
Haveremos de ver, qualquer dia,
chegando a vitória:
o povo nas ruas, fazendo a história,
crianças sorrindo, em toda a nação!

3. Companheiros, no chão dessa
pátria
é grande a peleja!
No altar da Igreja o seu
sangue bem vivo lateja!
Sobre as mesas de cada família
há frutos marcados
e há flores vermelhas
gritando por sobre os roçados!
Ó Senhor, Deus da vida,
escuta esse nosso cantar,
pois contigo o povo oprimido
há de sempre contar!
Para além da injúria e da morte
conduz nossa gente!
Que o teu Reino triunfe
na terra deste Continente.

02. HINO DE RIBEIRÃO BONITO E REDONDEZAS
L: Pedro Casaldáliga / M: Sérgio Schaefe

Ribeirão Bonito, cruz do padre João,
alta Cascalheira, gente do sertão.
O suor e o sangue fecundando o chão.
Mãe Aparecida, o profeta João,
Terra da Esperança, Povo em mutirão,
Igreja dos pobres em Libertação.

1. Os índios pais banhavam suas vidas
nas águas livres deste Ribeirão.
Filhos da Liberdade já perdida,
a injustiça nos banha em poeirão.

2. Sempre tocados, retirantes fomos,
mas chega o dia de firmar o pé.
Ninguém é mais do que também nós
somos,
filhos de Deus, iguais à luz da fé.

3. Da união fazemos nossa força;
da Liberdade, nosso novo ar.
A terra que é de Deus é também
nossa.
Quem sabe ser irmão pode ficar.

4. Festando a Páscoa em cada
Eucaristia,
sentido o Cristo vivo em cada irmão,
a Igreja se constrói no dia-a-dia
de um povo que labuta em mutirão.
03. BENDITA E LOUVADA SEJA
Folcmúsica Religiosa

1. Bendita e louvada seja
No céu a divina luz,
E nós, também, cá na terra
Louvemos a Santa Cruz.

2. Os céus cantam a vitória
de Nosso Senhor Jesus;
cantemos nós, igualmente,
louvores à Santa Cruz.

3. Sustenta gloriosamente
nos braços ao bom Jesus;
sinal de esperança e vida
o lenho da Santa Cruz.

4. Humildes e confiantes
levemos a nossa cruz;
seguindo o sublime exemplo
de Nosso Senhor Jesus.

5. Cordeiro imaculado,
por todos morreu Jesus;
pagando as nossas culpas,
é rei pela sua Cruz.

6. É arma em qualquer perigo,
é raio de terna luz;
Bandeira vitoriosa
o santo sinal da Cruz.

7. Ao povo, aqui reunido,
dai graça, perdão e luz;
salvai-nos, ó Deus clemente,
em nome da Santa Cruz.

04. PAI NOSSO DOS MÁRTIRES
Cirineu Kuhn

Pai nosso, dos pobres marginalizados!
Pai nosso, dos mártires, dos torturados!

1.     Teu nome é santificado
naqueles que morrem defendendo a vida.
Teu nome é glorificado
quando a justiça é nossa medida
teu reino é de liberdade
de fraternidade, paz e comunhão.
Maldita toda violência,
que ,devora a vida pela repressão.

2.     Queremos fazer tua vontade
és o verdadeiro Deus libertador.
Não vamos seguir as doutrinas
corrompidas pelo poder opressor.
Pedimos-te o Pão da vida
o pão da segurança, o pão das multidões,
o pão que traz humanidade,
que constrói a vida em vez de canhões.

3.       Perdoa-nos quando por medo,
ficamos calados diante da morte!
Perdoa e destrói os reinos
em que a corrupção é a lei mais forte.
Protege-nos da crueldade
do Esquadrão da Morte, dos prevalecidos.
Pai nosso, revolucionário,
parceiro dos pobres, Deus dos oprimidos!

05. DEUS É AMOR
Taizé

Deus é amor.
Arrisquemos viver por amor
Deus é amor, ele afasta o medo.

06. DEUS SANTO

Deus santo, Deus santo e forte.
Deus santo e imortal, piedade de nós!



Nenhum comentário:

Postar um comentário